aedes-zika-virus
Em agosto teve início nova fase de testes em humanos da primeira vacina brasileira contra a dengue, desenvolvida pelo Instituto Butantan. Essa é a terceira e última etapa de testes antes de a vacina ser submetida à aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Caso seja aprovada, a vacina será produzida em larga escala e disponibilizada para campanhas de imunização em massa na rede pública de saúde em todo o Brasil. Enquanto a vacina não chega na rede pública é importante adotar medidas de prevenção a proliferação do Aedes aegypti. Destaque para as ações dedetizadora que tem se mostrado eficazes no combate ao mosquito transmissor.

A melhor forma de se proteger do mosquito é ainda evitar que ele se desenvolva. Para isso, é preciso eliminar os focos de larvas. Em relação ao mosquito adulto, a melhor maneira de combater é eliminar águas paradas, que são criadouros do mosquito. Outra forma de combate é através de uma ação dedetizadora, que deve ser feita por profissionais com o devido conhecimento técnico dos ciclos biológicos e dos produtos específicos contra o mosquito. Não é recomendado executar esse processo por conta própria, pois o uso indiscriminado de inseticida contra o Aedes pode torná-lo resistente ao produto químico utilizado.

Ameaça silenciosa

O mosquito da dengue é pequeno, é preto com manchas brancas no dorso, pernas e cabeça. Ele é muito silencioso, de forma que o ser humano não consegue ouvi-lo. Os sintomas da dengue incluem febre, dores de cabeça e nas articulações, dor nos olhos, cansaço, náuseas, manchas vermelhas e, no caso de dengue hemorrágica, podem incluir dificuldade de respiração, perda de consciência, pulso fraco, sangramento na boca, gengivas e nariz e pele pálida, fria e úmida. Ao sentir qualquer destes sintomas, principalmente no verão, procure imediatamente o serviço de saúde da sua região.

Epidemia

Atualmente, a dengue é a mais importante doença transmitida por vetores nas Américas. É uma ameaça à saúde de milhões de pessoas que vivem em áreas urbanas, onde vive o seu vetor biológico, que é o mosquito Aedes aegypti. Neste ano, foram confirmados 354 casos de dengue em Porto Alegre – 301 autóctones e 53 importados; 27 de zika, sendo 15 autóctones e 12 importados; e 30 casos importados de chikungunya.

dengueDicas de prevenção

Com a experiência de quem atua há 15 anos na área de controle de pragas, a Desentupidora Porto Alegre – RS lista algumas medidas preventivas que devem ser adotadas para evitar a proliferação do Aedes aegypti:
Verifique se a calha está desimpedida, removendo folhas e outros materiais que possam impedir o escoamento adequado da água;
Verifique os vasos de plantas, retirando os pratinhos. Passe esponja para limpar os ovos que ficarem aderidos.
Caixas d´água, tonéis ou recipientes para armazenamento de água da chuva devem ficar tampados e sem frestas. Coloque tela milimétrica para cobrir, inclusive no ladrão.
Faça vistorias periódicas. Há no mercado empresas dedetizadoras especializadas na prevenção e controle de pragas e vetores.

24 horas por dia, 7 dias por semana

A Desentupidora Porto Alegre RS é uma empresa dedetizadora que realiza controle de pragas seguindo todas as normas técnicas vigentes. Nossa meta é realizar um serviço eficiente e sustentável, tendo o equilíbrio do meio ambiente e a satisfação do cliente como principais objetivos. Dispomos de equipamentos avançados e profissionais experientes, que traçam a melhor estratégia para cada situação. Entre em contato com a empresa pelo fone (51) 3937-0633 e solicite gratuitamente seu orçamento.

Categories:

No responses yet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.