dedetização ou detetização

dedetizarDedetização ou Detetização

Esta dúvida sempre surge entre nossos clientes, somos uma empresa de dedetização ou detetização? Qual das duas palavras é correta? Seria o caso onde uma corruptela da palavra se tornou popular, como acontece com cuspir\guspir, quicar\picar…? Ou ainda um exemplo de dupla grafia, onde ambas as palavras estão corretas e são aceitas, como cobarde\covarde, espécimen\espécime\, taberna\taverna…?

A única maneira de desvendar este mistério é voltando no tempo e analisando a origem da palavra.

A Descoberta e o Sucesso

Tudo começou em 1874, na Alemanha, quando um estudante sintetizou uma substância chamada Dicloro Difenil Tricloretano, abreviada para DDT. O composto permaneceu esquecido até 1939, quando o suíço Paul Müller descobriu suas propriedades como pesticida.

Devido ao baixo custo de produção e a alta eficácia, o DDT começou a ser produzido em massa, foi muito usado na Segunda Guerra Mundial para proteger soldados da doença tifo, que era transmitida por piolhos. E, após isso, no combate aos vetores da febre amarela, leishmaniose e malária. Também, foi utilizado largamente na agropecuária, ajudando o controle de pestes agrícolas.

O DDT era um sucesso, seu descobridor recebeu o Prêmio Nobel da Medicina, o pozinho branco tinha se tornado extremamente popular. Logo, se transformou em sinônimo de controle de pragas e surgiu o neologismo DDTzar, que depois se tornou dedetizar e se expandiu para dedetização, dedetizado, dedetizador, dedetizável, dedetizava, dedetizadora, dedetizante… O produto tinha virado significado, algo semelhante ao que aconteceu com Bombril, Maizena e Gilete. Porém, o reinado do DDT estava prestes a acabar.

Começo do Fim

Em 1962, a bióloga Rachel Carson publicou o Primavera Silenciosa, uma obra referência nas questões ambientais e de saúde. No livro, a autora descrevia o DDT como “O Elixir da Morte” e mostrava como a substância estava provocando danos ao meio ambiente, a saúde e levando algumas espécies a extinção. Ela alegava também que o DDT poderia causar câncer, distúrbios sensoriais, problemas respiratórios, paralisia, dano genético e, até mesmo, levar seres humanos à morte.

O livro iniciou uma série de movimentos contra o DDT, que foi sofrendo um grande declínio na produção e aos poucos foi sendo proibido pelo mundo. O primeiro a barrar a substância foi a Suécia, em 1970. No Brasil, a substância só foi completamente banida em 2009, mas o seu uso já era raro pelas empresas de controle de pragas.

O uso da dedetização

Apesar da proibição do DDT, a palavra “dedetização” continua sendo usada e é aceita pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, seu significado representa a aplicação de qualquer substância no controle de pragas. Por isso, as empresas que fazem desinsetização e desratização ainda são chamadas de dedetizadoras ou empresas de dedetização.

E detetizar? Bem, a palavra é só um erro de pronúncia que se tornou popular. Embora também seja usada, não é aceita como correta pela norma culta da língua. Mas isso pode mudar, há muitos exemplos de palavras que passaram a adotar dupla grafia devido a popularização da sua corruptela. Mas até lá, o ideal é que se use somente a forma dedetizar.

Categories:

No responses yet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.